terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Foi um amor real. E ainda é

|| || Nenhum comentário

O amor é uma coisa louca, que não dá para explicar.

Eu sou apaixonada por ele desde os meus 14 anos. O tempo passava, mas o amor nunca acabava.

As pessoas me diziam "você precisa namorar outras pessoas para esquecê-lo", mas não adiantava, quanto mais pessoas eu conhecia, mais eu desejava estar com ele.

Não foi só uma fase, não foi um amor de infância, não foi um amor platônico, foi um amor real. E ainda é. E sempre será.

Aos 14 anos meu coração escolheu quem ele amaria pelo resto da vida - e eu soube disso no momento em que o vi pela primeira vez.


"Diz pra eu ficar muda
Faz cara de mistério
Tira essa bermuda
Que eu quero você sério
Dramas do sucesso
Mundo particular
Solos de guitarra não vão me conquistar

Uh eu quero você como eu quero
Uh eu quero você como eu quero

O que você precisa é de um retoque total
Vou transformar o seu rascunho em arte final
Agora não tem jeito, cê tá numa cilada
Cada um por si, você por mim e mais nada

Uh eu quero você como eu quero
Uh eu quero você como eu quero

Longe do meu domínio cê vai de mal a pior
Vem que eu te ensino a ser bem melhor"

- Kid Abelha


| 15 de dezembro de 2017 |

sábado, 13 de janeiro de 2018

MELHOR LINK DA SEMANA: Pela 1ª vez na história, mulheres são permitidas em estádios na Arábia Saudita

|| || Nenhum comentário

MATÉRIA RETIRADA DO SITE DW.COM
Para ler na íntegra, clique aqui ou copie o endereço -> http://www.dw.com/pt-br/arábia-saudita-libera-estádios-para-mulheres/a-42135317 <-

Arábia Saudita libera estádios para mulheres

Torcedoras podem comparecer a jogo de futebol, mas só podem frequentar eventos acompanhadas e ocupar lugares em blocos destinados a "famílias". Mais outras duas partidas com presença feminina são previstas.
Mulheres na arquibancada de estádio de futebol na Arábia Saudita
Liberação de torcida feminina em estádios faz parte de série de mudanças sociais na Arábia Saudita
Pela primeira vez na história, mulheres foram autorizadas nesta sexta-feira (12/01) a assistir a um jogo de futebol na Arábia Saudita. A mídia local mostrou fotos de mulheres nas arquibancadas de um estádio em Jeddah, com lenços listrados no pescoço e com longos casacos pretos.
A autoridade responsável por esportes saudita anunciara anteriormente que um total de três estádios foram preparados para receber visitas de famílias.
A visita de estádios era proibida na Arábia Saudita para torcedoras do sexo feminino. Uma primeira exceção foi feita em setembro, quando mulheres, acompanhadas de suas famílias, puderam assistir a um jogo no dia nacional do país.


Assistir ao vídeo01:07

Como a Arábia Saudita segrega as mulheres

Em vídeos divulgados na internet pouco antes do início da partida da primeira divisão entre os times Al-Ahli e Al-Batin é possível ver as arquibancadas do estádio Rei Abdullah se enchendo aos poucos . Outro vídeo mostra homens e mulheres torcendo durante a partida.
De acordo com a autoridade esportiva saudita, foram reservados 14 mil dos 62 mil assentos "para famílias" naquele estádio. Os lugares ”para famílias” são localizados em determinados blocos, e as mulheres só podem entrar no lugar acompanhadas. O jornal saudita Okaz escreveu que pelo menos 1.200 entradas para famílias foram vendidas.
Nos próximos dias, mulheres também poderão assistir mais duas partidas, na capital, Riad, e em Dammam, no leste do país.
A abertura de estádios para mulheres faz parte de uma série de reformas sociais no país islâmico-conservador.  No ano passado, a casa real anunciou que a partir de junho, mulheres também poderão dirigir. O país é o único no mundo que proíbe mulheres de conduzir veículos.
A Arábia Saudita também cancelou a proibição dos cinemas depois de mais de 35 anos. As mudanças sociais são consideradas parte de uma chamada Vision 2030, com a qual a família real deseja reformar e modernizar a sociedade e a economia. O país quer, sobretudo, ficar mais independente economicamente do petróleo.
Nas redes sociais, as mulheres saudaram a medida. "Isso é mais que um direito das mulheres ", escreveu o embaixador saudita nos EUA, Fatimah Baeshen, no Twitter, acrescentando que a medida possibilita que famílias se reúnam e desfrutem o futebol saudita, que é uma paixão nacional.
Houve também críticas de meios mais conservadores, que argumentaram que estádios de futebol não são lugar para mulheres e que chamaram a liberação de "demoníaca” e prejudicial à religião e à cultura do país.

| FONTE: http://www.dw.com/pt-br/arábia-saudita-libera-estádios-para-mulheres/a-42135317

A partir de agora o blog vai abordar o assunto "a vida das mulheres no Oriente Médio". Mensalmente haverá posts sobre esse assunto aqui no blog. Fiquem de olho.

quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

#DiárioDaFaculdade: um novo começo. Estou mudando de cidade e de curso (de novo) #21

|| || Nenhum comentário

Porto Alegre, 2 e 3 de dezembro de 2017.

Hoje foi o vestibular de Arquitetura e eu achei a prova bem tranquila, não achei um pesadelo.

Química e Física, que são as matérias que sempre vou mal, não achei que estavam super difíceis não, não estavam fáceis, mas também não estavam impossíveis. Bastante coisa eu ainda lembrava da época da escola (me formei ano passado, desde então não estudei mais química nem física). O que eu sabia, eu sabia, o que eu não sabia, tentava fazer de acordo com as alternativas. O que não dava para fazer de acordo com as alternativas, foi bem "segura na mão de Deus e vai".

Humanas eu sempre acho muito fácil, mas dessa vez achei História e Geografia meio ferradinhas, porque era conteúdo muito específico e nem tudo eu lembrava, mas mesmo assim acho que fui muito bem.

A redação foi uma delícia de escrever, porque diferente dos vestibulares convencionais e do ENEM, esse vestibular pedia um texto com a opinião do vestibulando, então ele dispensava aquelas redações quadradinhas, chatinhas, que aprendemos em escolas de redação para tirar 1000 no ENEM.

Outra coisa diferente era que tinham 3 temas diferentes para escolhermos e desenvolvermos 1. As propostas eram:

1) As pessoas que vivem na cidade sonham em ter uma casa no campo e as pessoas que moram no campo sonham em ir para a cidade grande. Na cidade, há mais recursos e infraestrutura que no campo, isso não tem como negar. Pensando nisso, escreva uma redação propondo soluções de como é possível viver no campo sem os recursos que tem na cidade (cinema, hospital, shows).

2) Era algo sobre mobilidade urbana, não me lembro exatamente qual era a proposta.

3) E se todas as suas lembranças ruins pudessem ser apagadas? Se você apagasse, qual seria o impacto na sociedade? As pessoas se comportariam da mesma maneira?


Eu escolhi a 3ª proposta para desenvolver e amei meu texto. Com toda certeza foi o melhor texto de vestibular que já fiz (quem sabe foi até um dos melhores textos que já escrevi na vida).

A princípio, eu ia escrever a 1ª proposta, mas vi que eu não tinha solução para o problema colocado (nem eu sei como sobreviver sem a infraestrutura da cidade) e como a ideia acabou não indo para frente, decidi mudar. Eu não queria escrever sobre mobilidade urbana, então decidi fazer a última proposta e não me arrependo, amei o resultado.

Bem, essas são as minhas considerações sobre o vestibular. Agora é esperar o resultado.



Cuiabá, 13 de dezembro de 2017.

Hoje recebi um e-mail da faculdade falando que eu passei no vestibular.


Diferentemente de quando passei em Jornalismo em São Paulo, dessa vez eu li o e-mail bem tranquila, não surtei igual aconteceu no meu 1º vestibular.

Claro que eu estou muito feliz por ter passado, ainda mais porque foi na faculdade que eu tanto queria, mas é que eu já sabia que tinha passado, então minha felicidade mesmo não foi agora mas, sim, quando vi minha classificação geral. Agora foi só a minha convocação para fazer a matrícula, por isso não teve toda aquela euforia - e também porque eu sou uma pessoa contida, minha felicidade é interna.

Amanhã estou indo para Porto Alegre e dia 15, sexta-feira, farei minha matrícula. Mais uma etapa da minha vida. Mais uma faculdade (a 3ª). Mais uma mudança de cidade.

Estou muito animada para esse novo ano, novo curso, nova cidade e nova etapa. Será que o amor da minha vida está em Porto Alegre? Vamos descobrir.



Porto Alegre, 15 de dezembro de 2017.



Hoje fiz minha matrícula na faculdade nova e minhas aulas só começam 5 de março. 5 DE MARÇO!!! Não sei o que vou ficar fazendo até lá, sinceramente. Mas por outro lado, achei ótimo só começar em março, porque como ficarei muito tempo sem fazer nada, ficarei louca para voltar a estudar e aí quando as aulas começarem, estarei muito empolgada e com muito gás com a faculdade nova (ninguém merece começar na preguiça ou não querendo estar ali).

Depois de fazer a minha matrícula, recebi um papel com a grade curricular do meu curso (só tem aula de física e matemática, chora bebê), a minha carteirinha estudantil (SIM, A MINHA CARTEIRINHA ESTUDANTIL COM O MEU NOME!) e uma caixinha com algumas coisinhas dentro (um recadinho de parabéns por ter passado no vestibular, uma caneta e um caderninho no formato de um passaporte. Se eu amei? DEMAIS!).


Eu fiquei muito impressionada com a organização da faculdade, de verdade, porque no ato da matrícula já recebi minha carteirinha, tipo, como assim???? Nas minhas outras faculdades (em SP e no MT) fui receber só no final do semestre (mas eu tenho que ser justa, em SP a organização da faculdade também foi uma coisa que me chamou muita atenção).

E lá vamos nós de novo. Estou muito animada. Agora é fazer todo aquele processo de alugar apartamento de novo, mobiliar e decorar, e esperar a data da mudança chegar.

Seja bem-vinda a minha vida, Porto Alegre. Que você seja inesquecivelmente boa para mim.

domingo, 7 de janeiro de 2018

O que fazer com as conchas que pegamos na praia? Ideias de decoração

|| || Nenhum comentário
Sabe quando vamos à praia e pegamos conchinhas na areia para guardar de recordação? Então, não sei vocês, mas eu nunca sei o que fazer com essas conchinhas depois.

Como estamos no verão e em período de férias, e muitas pessoas irão à praia, achei que seria útil fazer esse post com ideias de decoração do que fazer com as conchinhas que pegamos na praia. Vamos dar uma função a essas conchinhas!


Espero tê-las inspirado!

Se vocês tiverem alguma ideia que não tenha aparecido no post, deixem nos comentários, vou adorar ler sobre.



| Fotos retiradas do Pinterest e Google.

quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

#DiárioDoSilicone: 3 meses de cirurgia - atualizações #5

|| || Nenhum comentário

Dia 25 de dezembro completou 3 meses que fiz a cirurgia do silicone (parece que tem muito mais tempo) e hoje vim atualizar sobre como andam as coisas.

Na minha última consulta a médica liberou deitar de lado (glória a Deus, não aguentava mais só dormir de barriga para cima) e deitar de bruços. Para não doer, ela recomendou colocar um travesseiro embaixo da barriga, para ficar na mesma "altura" dos peitos e não apertá-los tanto. 

Porém, confesso que não estou com muita coragem de deitar de bruços não, tenho um pouco de medo de apertar muito e estourar ou entortar, apesar de ela ter garantido que não tem risco nenhum. Mas vai quê, né? Não quero correr o risco de ser a 1ª.

Além disso, já posso voltar a praticar esportes, lógico, sem abusar. A única recomendação foi voltar aos poucos, não pegar pesado logo de início.

Uma amiga da minha mãe, que colocou silicone, falou que eu tenho que usar um sutiã de academia que segura bem os peitos e usar um outro sutiã normal por baixo desse sutiã de academia, porque senão corre risco dos peitos não aguentarem e deformarem, sair do lugar, enfim, prejudicar o resultado da cirurgia.

Outras duas coisas que mudaram foram o fato de eu não precisar mais passar pomada na cicatriz (eu usava "Kelosil". Vou continuar passando, não quero parar ainda) e não precisar mais fazer consultas de rotina - no 1º mês era a toda semana. Do 2º ao 4º mês de cirurgia, era a cada 1 mês. Agora quando completar 4 meses farei minha última consulta, depois disso estou liberada. Volto nela só se tiver algum problema.

Sobre a cicatriz: ela está bem pequena, bem fininha e pouco visível. Acho que no final, ela vai ficar tão fraquinha que quase vai sumir.

As atualizações foram essas. Como vocês puderam ver, em questão de 3 meses pude voltar a fazer tudo o que eu fazia antes da cirurgia. Achei que minha recuperação do pós-cirúrgico foi bem rápida e muito boa, eu achava que ficaria uns 6 meses com várias limitações, mas que bom que não.

Ah, é sempre bom lembrar que não posso abusar nem exagerar, tenho que fazer aos poucos, em pequena quantidade.

Qualquer dúvida, deixem nos comentários que responderei :)

segunda-feira, 1 de janeiro de 2018

As minhas metas para 2018

|| || Nenhum comentário

Um novo ano se inicia e com ele novas metas surgem.


-> Começar a fazer aula de espanhol
-> Viajar para a Grécia
-> Viajar para o Maranhão
-> Começar a faculdade de Arquitetura
-> Voltar a jogar tênis
-> Engajar em um projeto voluntário com crianças
-> Juntar dinheiro para o intercâmbio do ano que vem
-> Não ficar de recuperação/prova final na faculdade
-> Aperfeiçoar meu inglês
-> Conhecer um loiro gato (é brincadeira, mas se o cara lá de cima quiser mandar, eu aceito)
-> Viajar muito
-> Fazer bons e verdadeiros amigos na faculdade
-> Conhecer as cidades do interior do Rio Grande do Sul


Seja bem-vindo 2018, que você seja um ano de muita paz, muitas realizações, muitas esperanças de um mundo melhor e muitas felicidades. Que o amor vença sempre.

domingo, 31 de dezembro de 2017

Último dia do ano, será que cumpri minhas metas de 2017?

|| || Nenhum comentário

No dia 1º de janeiro de 2017 postei aqui no blog uma lista com as minhas metas para 2017 e hoje, dia 31 de dezembro de 2017, último dia do ano, vou fazer um update dessa lista falando se cumpri ou não minhas metas.

-> Começar a faculdade  OK - comecei 2 faculdades, inclusive
-> Começar a fazer curso de Espanhol  - estava tudo certo, eu ia fazer a minha matrícula, mas tive a opção de antecipar minha cirurgia de silicone, então preferi a cirurgia - e por causa do pós-operatório tive que ficar de molho por alguns meses, então não teve como começar
-> Viajar para Israel  - infelizmente não aconteceu :(
-> Viajar para Recife  OK - aconteceu e foi incrível
-> Mudar de cidade  OK
-> Decorar meu apartamento  OK
-> Fazer novos amigos  OK
-> Comprar a estante dos sonhos  - não foi dessa vez :(
-> Começar a fazer academia ou aula de defesa pessoal  OK - comecei Muay Thai
-> Falar inglês fluentemente - estamos no caminho. Vou me formar agora no início do ano na escola de inglês. Estou sendo muito elogiada pelos professores por causa do meu nível
-> Entrar em um projeto social  OK - eu continuei em um projeto que eu já participava, não entrei em um novo
-> Juntar dinheiro para ir para a Rússia na Copa de 2018  OK - os planos mudaram, mas eu juntei dinheiro
-> Planejar meu intercâmbio  OK - em 2019 o intercâmbio sai, se Deus quiser
-> Planejar uma viagem com as amigas  OK - o planejamento aconteceu e a viagem também (fomos para Campos do Jordão)
-> Ir à uma corrida de Fórmula 1 em Interlagos  - só não fui porque mudei de São Paulo e fiz cirurgia mas eu tinha tudo planejado para ir


De 15 metas, cumpri 11.

Das 4 que não cumpri, 2 iam acontecer, só não aconteceram porque os planos mudaram e eu fiz a cirurgia. As outras duas não aconteceram mesmo.


Metas que não estavam na lista, mas aconteceram:
- fiz a minha tão sonhada cirurgia de silicone!
- viajei para o Sul do Brasil 2 vezes! (nunca tinha ido, sonhava em ir)
- conheci a Serra Gaúcha (era um sonho)
- viajei muito (17 viagens ao longo do ano)
- comprei o MacBook que eu queria (eu estava planejando para comprar ano que vem, mas surgiu uma oportunidade única e consegui comprar essa ano ainda) 

2017 se encerra aqui, mas amanhã começa um ano novo e com ele novas metas! Vem 2018, estou sedenta por ti.