domingo, 20 de julho de 2014

A história original dos contos de fadas

|| ||

     Esse post destruirá a infância de vocês, então caso não queiram saber a verdade, parem de ler agora.
     Vocês já se perguntaram qual a história por trás da versão criadas pelos irmãos Grimm (famosos por criarem fábulas como: "chapeuzinho vermelho", "os três porquinhos")? Não? Então saberão agora!

*Todas as histórias eram lendas urbanas que acabaram virando fábulas.


Branca de Neve




     “Era uma vez, no tempo de inverno, quando os flocos de neve caiam como penas do céu, uma rainha sentou-se numa janela que tinha moldura de ébano negro. Ela estava costurando enquanto olhava para a neve e espetou o dedo com a agulha e três gotas de sangue caíram sobre a neve da janela. O vermelho pareceu tão bonito na neve branca que ela pensou consigo mesma: ’Eu gostaria de ter uma filha branca como a neve, com a boca vermelha como sangue, e os cabelos negros como o ébano’. 
     Assim nasce a Branca de Neve, como as preces da rainha, sua mãe, que era muito vaidosa e vivia se olhando em um espelho, fazendo a famosa pergunta ‘Espelho, espelho meu, existe alguém mais bonita do que eu?’. O espelho respondia que não, até que Branca de neve completou sete anos e o espelho afirmou que existia, e essa pessoa era sua filha.
     A rainha passou a odiar Branca de Neve, e queria ela morta urgentemente, e então. começa a conspirar para que ela morra, deixando-a sozinha entre outras.
     Mas parece que Bramca de Neve tinha sorte, porque nenhuma das tentativas deu certo. A rainha, então, contrata um mercenário, para que mate a menina e como prova do feito, lhe traga o coração, pulmões e fígado.
      O mercenário não consegue matar Branca de Neve, mandando-a fugir para muito longe. Para não voltar sem nada, ele mata um animal silvestre e leva para a rainha, que os salga e manda os cozinheiros preparar para sua refeição, já que acredita que comendo os órgãos da princesa, iria desenvolver características como ela. 
     Logo após comer, ela pergunta ao espelho, se ela era a mulher mais bonita,e o espelho responde: ‘Branca de Neve’.
      A rainha fica furiosa.
      Branca de Neve encontra a casa dos sete anões, que a acolhem e avisam que ela não pode deixar ninguém entrar na casa enquanto eles estão fora. 
     O conto da Disney tem foco nos sete anões, mas no original, eles não aparecem com grande predominância. 
     A rainha se disfarça de uma velha senhora e visita a casa dos anões três vezes. Na primeira, amarra-a com rendas de segurar espartilhos, mas é salva pelos sete anões. Na segunda, novamente não deu certo e na terceira visita, é quando ela entrega a tradicional maçã envenenada, que é consumida pela menina e assim cai no chão.
      Todos pensam que a Branca de Neve morreu, e a colocam em um caixão de vidro, até que um príncipe chega, e tenta beijá-la. 
     Nada acontece. 
     Então ele cutuca e a golpeia-a até que a maçã que estava entalada em sua garganta é cuspida, e assim ela consegue acordar e se casar com o príncipe.
      Em outras versões da história, a rainha muda, sendo uma condessa ou uma madrasta, mas originalmente ela é a mãe biológica da Branca de Neve, que no final tem uma punição macabra: é forçada a dançar com um par de sapatos de metal, aquecidos em um forno na brasa. Os sapatos são colocados nos pés da rainha, que dança com tais sapatos até que caia morta no chão.


Chapeuzinho Vermelho


     A história da menina que usa um capuz e capa vermelha ficou famosa mundialmente tornando-se a fábula mais contada de todos os tempos, desde a época medieval, quando a história surgiu pelos ataques de lobos e supostos lobisomens famintos que sempre rondavam os bosques a procura de alimento.
     A versão que mais conhecemos, tem como chapeuzinho vermelho, viva no final, escapando com sua avó das garras do lobo, mas em versões diferentes e mais antigas, não existia lobo. Ele era uma metáfora, assim como a cor da sua roupa, para identificar o inicio de uma vida feminina, a passagem de criança para adulta; tendo o capuz vermelho como significado para o ciclo menstrual da garota e o lobo os instintos sexuais mais selvagens que possam surgir em um humano, ou como um homem a procura de garotas na floresta.
      No conto, Chapeuzinho Vermelho é enviada pela mãe, para a casa da avó, com objetivo de entregar-lhe uma cesta de doces, mas a avisa para não ir pelo caminho da floresta, pois lá mora um lobisomem muito perigoso.
      Teimosa, a garota resolve ir pela floresta, por ser mais perto, sendo assim, chegaria à casa da avó muito mais rápido. 
     Chegando à floresta, Chapeuzinho Vermelho encontra o lobisomem, que a faz perder tempo, e corre em grande velocidade para a casa da avó. 
     Lá, o lobo devora a avó por partes, deixando o sangue e alguns pedaços juntos para Chapeuzinho Vermelho comê-los quando chegasse até a casa.
      Chegando lá, a garota bate a porta e o lobisomem, que já estava disfarçado de avó, tranca a porta e começa o show de horror. Chapeuzinho janta a sua avó, o monstro havia preparado a carne da senhora como uma sopa e depois força que ela transe com ele. 
     Daí surgem as famosas frases imortais:
"—Porque esses olhos tão grandes? -ela pergunta.
—Ó minha querida, são para te ver melhor -ele responde.
—Porque essas orelhas tão grandes?
—São para te ouvir melhor.
—E porque essa boca tão grande?
—É para te comer! (duplo sentido)"

     E assim o lobisomem devora Chapeuzinho Vermelho. 
     Em versões mais antigas, ela consegue o seduzir com strip-tease e logo após foge. 
   Em uma versão ainda mais antiga, ela consegue fugir, fingindo que vai fazer coco no banheiro (que naquela época, era fora da casa), e assim consegue escapar.


Cinderella


     Não se sabe muito sobre o conto original da Cinderella, já que as pessoas achavam que o verdadeiro era o conto dos Irmãos Grimm, porém a mais antiga é originaria da China, que assim inspirou Charles Perrault, Irmãos Grimm entre outros, levando também o titulo Italiano ‘A Gata Borralheira’.
      A Disney adaptou a versão do Francês e dela surgiu a Cinderella, que a grande massa conhece hoje, mas as partes horríveis foram deixadas de fora da versão.
     A história começa com a filha de um comerciante rico, que havia perdido a esposa, e ainda muito jovem, casou-se novamente, mas com uma mulher que tinha duas filhas perversas como ela. 
     Tornando-se madrasta de Cinderella, fizeram da pobre moça uma serviçal.
      Muito invejosas e sabendo que Cinderella era a moça mais bonita do reino, não a deixaram participar de um baile que o príncipe havia anunciado para encontrar sua esposa, de todo os tipos de mulher, das mais feias, pobres, altas, magras e gordas, ele iria escolher apenas uma.
      Cinderella ficou triste, porque queria ir ao baile, mas as malévolas de sua casa rasgaram seu vestido feito com os retalhos do lixo e agora ela não poderia ir. 
     Em uma versão antiga, Cinderella, nesse momento, chorava no sótão enquanto fazia um pacto com o demônio, que um feitiço poderia durar até a meia-noite. Mas a história que conhecemos, ela tem ajuda de uma fada madrinha, que transforma uma abóbora em carruagem e ratos em cavalos etc., mas tem o mesmo aviso, do encanto acabar a meia-noite.
      Cinderella chegou à festa como uma magnífica princesa, que não foi conhecida por ninguém, chamando atenção do príncipe, que dançou à noite inteira com ela; mas ao badalar da meia-noite, Cinderella teve que sair correndo do palácio, deixando escorregar de seu pé, um sapatinho de cristal, que foi encontrado pelo príncipe mais tarde.
      O príncipe vai em busca da dama no outro dia, entrando na casa de todas as moças para que provassem o sapato. A dona dele seria a sua futura esposa. 
     Chegando à casa de Cinderella, que havia sido trancada quando as irmãs ouviram a notícia. Nas versões modernas, as duas tentam enfiar o pé no sapato, apenas para ficarem decepcionadas por seus pés enormes não caberem no calçado. 
     A história original mostra mais atitude e determinação nas irmãs, elas cortam pedaços dos pés para tentar pôr o sapato de cristal, fatiando partes dos seus dedos e calcanhar.
      O final é feliz para Cinderella, que prova o sapato.
     A madrasta e suas filhas têm os olhos arrancados e comidos por corvos.


A Bela e a Fera



      Com vária versões, a história da Bela e a Fera te origem francesa.
     O pai era um homem rico, que tinha três filhas. As duas mais velhas, se sustentavam de luxo e lindos vestidos, eram egoístas e invejosas, enquanto que a mais nova era simples e graciosa. De tão bonita, seu nome era "Bela".
     No decorrer da história, o pai fica pobre e precisa fazer uma viagem, perguntando às filhas o que elas queria que ele trouxesse de lá. As mais velhas, pedem vestidos caros. Bela, só pede uma rosa.
     Ao voltar da viagem, o pai das moças encontra uma rosa e a arranca do jardim, mas é confrontado pelo dono da propriedade, uma besta chamada "Fera".
     Como punição, ele aprisionaria o homem, que tenta explicar que era um presente para a filha.
     Fera não amolece seu coração com a história, porém da permissão ao velho para se despedir da filha, antes de ser aprisionado.
     Ao chegar em casa, conta a história para Bela, que decide ir no lugar do pai.
     Bela, então, se torna prisioneira da Fera, que a trata bem, entende suas necessidades e toda noite pede para se casar com a moça, recebendo sempre um "não" como resposta. 
     O tempo vai passando e Bela começa a se apaixonar por Fera, que estava cada vez mais bondoso.
     Com permissão de Fera, Bela vai visitar o pai (caso ela não voltasse em uma semana, ele comeria todos do castelo).
     Como combinado, ela fica uma semana fora; apenas de espírito, porque os sonhos são com Fera. Bela, então, percebe que ama-o e resolve voltar para o castelo.
     Quando volta, eles se encontram e Bela beija-o, transformando-o em um belo príncipe.
     Tempos depois ele se casam.
     As irmãs, em contrapartida, são amaldiçoadas e transformadas em estátuas, até que reconheçam seus defeitos.
     Em muitas versões da história, Fera nunca é descrita, sua aparência é deixada 0para ser imaginada pelo leitor (um ser peludo com chifres e rosto meigo, foi implantado pela Disney), no entanto, em uma versão antiga, a Besta é descrita como uma serpente grande.
     Nesta versão, ele explica que foi amaldiçoado e transformado em uma cobra por uma bruxa, por transar com um órfão; mas a pedofilia é perdoada por Bela.
     O simbolismo está espalhado por todo o conto: a besta e sua eventual transformação, representam medo e confusão sexual evoluindo para a maturidade. A rosa dada pelo pai à Bela, é um símbolo de virgindade e da aceitação do pai ao crescimento e amadurecimento de Bela, que já estava ficando adulta. O símbolo da serpente, significa o desejo sexual, luxúria, vivendo no paraíso.


Os três porquinhos

     A história original não tem tanta diferença. Uma das poucas, é que o lobo não sopra as três casas, e sim, as duas primeiras. Os porcos não conseguem escapar e acabam sendo comidos pelo lobo.
     Com o último, o lobo não tem a mesma sorte, Ele tenta seduzir o porco com doces, maças e até um passeio na feira, sem resultado. O porco, muito esperto, diz que não precisa disso, porque não queria incomodar o lobo.
     O lobo pensou em outra forma de conseguir comer (sem duplo sentido) o terceiro porco.
     De repente, ele viu uma escada encostada na parede da casa do porco e resolveu subir para entrar pela chaminé.
     Quando pulou dentro da chaminé, caiu em uma panela que o porco tinha colocado para ferver no fogo. Dessa forma, o lobo e os outros dois porquinhos que ainda estavam na barriga do lobo, se tornaram o jantar do terceiro porco.


A Pequena Sereia

     O conto que foi popularizado pela Disney, é na verdade, uma adaptação infantil com final feliz, do conto original do escritor dinamarquês Bans Christian Andersen.
     No reino subaquático, se passa a história de uma sereia que vive com o seu pai, um rei trintão, sua avó e suas cinco irmãs mais velhas, cada uma um ano mais velha.
     Na medida em que iriam completando 15 anos, as sereias poderiam subir até a superfície.      Caçula, Pequena Sereia estava muito curiosa para saber como era a superfície.      Quando, finalmente, sua vez chegou, foi um dia de grande tempestade e ela avista um barco no meio da tempestade.      Ela se esforça e consegue salvar o príncipe que lá estava.      Inconsistente,  é deixado na costa, perto de um templo, onde é encontrado por outra jovem, pela qual o príncipe se apaixona perdidamente.      Triste, Pequena Sereia pergunta a sua avó a diferença entre humanos e sereias, tendo como resposta (óbvia) as caudas de peixe e a explicação de que, quando um humano morre, ele tem a alma eterna, mesmo morto, enquanto que as sereias, viram espuma no mar.      Pequena Sereia deseja uma alma eterna e o amor do príncipe, então vai agá a Bruxa do Mar, Ursula, que lhe oferece uma poção em troca de sua bela voz. Pequena Sereia aceita, porém é alertada que uma vez que se torna humana, nunca mais poderá voltar ao mar e que ao beber a poção, ela irá sentir como se uma espada fosse enfiada em seu corpo, mas quando se recuperar, iria ter um par de pernas capazes de dançar como nenhum outro humano. No entanto, ela iria sentir constantemente como se estivesse andando sobre facas afiadíssimas e que seus pés iriam sangrar terrivelmente.      Além disso, ela iria apenas conseguir uma alma se encontrasses o beijo do amor verdadeiro e que se o príncipe não a amasse, na primeira madrugada do seu casamento com outra mulher, a Pequena Sereia morrerá com o coração despedaçado, transformando-se em espuma do mar.      Ainda assim, ela aceita tomar a poção.      Quando encontra-se com o príncipe, ele se sente atraído pela sua beleza e graças, mesmo ela sendo muda.      Sabendo que o príncipe adorava vê-la dançar, ela dança mesmo sentindo dor agonizante.      Quando o pai do príncipe ordena que ele se case com a filha do rei vizinho, o príncipe diz à Pequena Sereia que não irá casar-se com ela, por estar apaixonado por ela, porém quando vê a filha do rei, descobre que era a garota que havia o "salvado" no dia da tempestade.      O casamento é anunciado e eles casam-se, deixando a sereia de coração partido.      Ela se desespera, desiste de tudo e acredita que apenas a morte seja sua escapatória, mas antes da madrugada, suas irmãs aparecem com uma faca de prata que a bruxa do mar lhes deu em troca de seus longos cabelos. Se a Pequena Sereia esfaquear o príncipe com a faca e deixar o sangue dele pingar sob os seus pés, ela iria voltar a ser uma sereia e seu sofrimento iria acabar.      Pequena Sereia não tem coragem de mata-lo e quando a madrugada surge, ela atira-se no mar. Seu corpo transforma-se em espuma, mas em vez de desaparecer, ela sente o calor do sol. Ela tinha se tornado um espirito, uma filha do ar.      Os outros espíritos contam-lhe que ela se tornou um espirito, graças ao seu esforço e dedicação, ao tentar ter uma alma eterna.

Cachinhos de ouro
A história original passou por muitas mudanças, pois de principio, não havia nenhuma menina com cachinhos dourados, e sim, uma velha senhora faminta que estava sem abrigo e havia encontrado uma casa com três pratos e três camas, assim depois de comer a comida, iria dormir, até que os moradores da casa chegavam, os três ursos, e a devoravam.
Como a história teve várias mudanças, podemos citar, quando a vítima que, por vez, já foi uma menina com cabelos de prata, é encontrada dormindo. Os ursos chegam, mas ela consegue fugir pela janela e corre freneticamente pelo bosque para nunca ser mais vista. Em outras vezes, os ursos conseguem pegá-la, jogam a menina na lareira, afogam ou até fazem ela subir na torre de uma igreja e pular de cima.
A história que hoje em dia é contada, é de uma menina loira, que cansada de andar pela floresta, encontra uma casa. Vê que não tem ninguém e assim entra, observando mingau em três pratos (de diferentes tamanhos), que se encontram sobre a mesa. 
Depois de comer, ela encontra três camas: uma grande, uma média e uma pequena, provando cada uma. Escolhe a pequena e dorme profundamente, até que uma família de ursos, que originalmente são três ursos machos, chega em casa e vê a linda menina dormindo.
Quando ela acorda e vê a família de ursos, o macho, a fêmea e o pequeno, pede desculpas dizendo que não invadirá a casa da família urso outra vez e vai embora para sempre.
João e Maria
A história de "Hansel e Gretel" é conhecida no português como "João e Maria", é de tradição alemã e foi publicado pelos Irmãos Grimm em 1812.
Bem resumidamente a história contada é essa: os personagens principais, os irmãos Hansel e Gretel, são abandonados pelos pais na floresta. Enquanto procuram o lugar de volta para casa, encontram um lugar com muitos doces e guloseimas. 
Eles entram nessa casa e descobrem que uma bruxa mora lá. Essa bruxa os captura para comê-los. 
Acontece uma revira volta e a bruxa é morta pela menina, Gretel, que salva seu irmão e vão embora.
Originalmente, a história não tinha bruxa, e sim, um casal de demônios vermelhos que atraiam as crianças para sua moradia a fim de escravizá-las e depois come-las (sem malícia).
Mas essa história também passou por modificações. A versão que é conhecida depois dessa dos demônios, é de outra Bruxa, que morava em uma casa feita de gengibre. Os pais de Hansel e Gretel resolveram abandoná-los por serem muito pobres e não ter condições de alimentar a todos.
O pai leva os dois para um passeio e Hansel marca uma trilha feita de pedrinhas brancas. Da segunda vez, ele marca com migalhas de pão, que são comidas por pássaros, fazendo com que ele e a irmã não consigam voltar para casa, e assim encontram a casa de gengibre; onde começam a comer. Aí a bruxa aparece e os convida para entrar.
A bruxa dá-lhes comida e camas confortáveis, mas quatro semanas depois ela engorda as crianças para poder comê-las. 
Já com o forno preparado, ela tenta jogar Hansel dentro do forno, mas Gretel, em raciocínio rápido, empurra a bruxa dentro do forno, e a tranca, deixando-a assar lá dentro. Enquanto isso, Hansel pega as coisas de valor e os dois vão embora para casa sendo guiados por um cisne branco.
Chegando lá, encontram apenas o pai, porque a mãe tinha morrido. As crianças, então, apresentam os objetos de valor ao pai e vivem felizes para sempre.
Na versão dos demônios, eles conseguem apenas matar a demônia, em um cavalete de madeira, cortando-lhe o pescoço e fugindo enquanto o demônio não está os vendo; mas
depois há indícios que ele os perseguiu até a casa e os matou fazendo um ritual.
A história de Hansel e Gretel foi reaproveitada na série "Buffy – A Caça-Vampiros", quando corpos de crianças com estranhas marcas de ritual são encontradas no cemitério de Sunnydale, mas trata-se de um demônio que toma a forma de Hansel e Gretel, que foram mortos, mas voltam de 50 a 50 anos para punir as Bruxas e incitar a discórdia de pequenas comunidades.
E para finalizar, Rapunzel.
  O conto da Rapunzel pertence originalmente a Charlotte-Rose de Caumont de La Force, 
publicado em 1698, mas teve adaptação dos Irmãos Grimm em 1812. 
     O conto não teve muitas mudanças drásticas, apenas foi amenizado durante os anos.
     "Rapunzel" era o nome de um vegetal, e a mãe de Rapunzel convence ao marido pegar um pouco dessa planta para que coma. Então ele entra em um jardim proibido, já que sua mulher estava querendo
desesperadamente o vegetal, e esse desejo era um sintoma de sua gravidez. 
     O Jardim era da propriedade de uma feiticeira, que pegou o homem e o acusou de furto. Ele tentou explicar a situação, mas em troca a bruxa queria que lhe entregassem a filha que iria nascer.
     Os meses passam e a criança nasce. Cumprindo a promessa, o homem da a criança à bruxa, que da-lhe o nome de Rapunzel, o nome da planta que seu pai biológico furtou.
     A vida de Rapunzel com sua nova mãe ia bem, até que completou doze anos, e a bruxa aprizinhou-a em uma torre, onde era impossível subir sem uma escada; mas o cabelo de Rapunzel nunca tinha sido
cortado, e era conservado com uma enorme trança. 
     Quando a feiticeira chegava toda manhã, ela gritava: "Jogue suas tranças de ouro Rapunzel". Assim a menina jogava, e a Bruxa subia levando comida.
     Um dia, um príncipe escutou Rapunzel cantando dentro de sua torre. Logo ele avista a bruxa chegando e presta bem atenção como ela faz para subir. 
     Depois que ela vai embora, o príncipe dizca mesma coisa e Rapunzel joga novamente as tranças. Ele sobe e assim começacum namoro, depois de algumas visitas, o namoro é regado a sexo, até que
Rapunzel fica grávida.
     Como não conhece os mistérios da gravidez,cela pergunta para sua mãe por que sua barriga está crescendo e seu vestido ficando apertado em torno do estômago. Com raiva, a Bruxa percebe que ela esta se encontrando com algum homem, então corta a trança de Rapunzel e a expulsa da torre, colocando-a em um deserto das proximidades. Depois espera o príncipe chegar e joga as tranças de Rapunzel. Assim que ele sobe o cabelo, fica frente a frente com a Bruxa, que o empurra lá de cima. Na queda, ele cai em espinheiro e fura os olhos, tornando-se, assim, cego.
     Rapunzel e o príncipe ficam separados um tempo, mas se reencontram quando um dia, mesmo batendo nas árvores, o príncipe sai para caminhar e escuta alguém cantando. Ele vai até a música e descobre que era Rapunzel. Quando Rapunzel vê que ele ficou cego, começa a chorar e o choro
cura a cegueira do príncipe.
     Depois disso, ele leva Rapunzel ao seu reino, e podemos dizer que este é o final feliz.
     Ninguém sabe o que aconteceu com a bruxa e com o filho (a) do príncipe com Rapunzel.
Tenso, né?
Era para esse post ir ao ar, dois dias atrás, PORÉM, foi preciso de muito tempo e pesquisas para conseguir concluir esse post e ontem fiquei o dia inteiro fora, então só consegui concluir o post hoje.
Espero que tenham gostado, que comentem e que me perdoem por demorar para lançar o post, mas lembrem-se que sempre faço com muito carinho.
Farei mais um post agora (especial da copa) e começarei o post sobre os gatos da Argentina, que vai ao ar essa semana ainda e depois vem os gatos Argélia e Austrália. Fiquem de olho no blog. 
Beijinhos :*

Nenhum comentário:

Postar um comentário